Atividades para crianças pequenas: Tipos de brincadeiras e de jogos

Atividades para crianças pequenas: Tipos de brincadeiras e de jogos

Brincar é o trabalho da infância. É o laboratório onde as crianças descobrem como o mundo funciona, quem elas são, quem podem ser e o que podem e não podem fazer.

Nem toda brincadeira é a mesma, seja em estilo ou efeito. Observe de perto alguns dos diferentes tipos de brincadeira para seu filho, e veja como ele assume seu lugar no mundo.

Brincadeira simbólica

Para um bebê ou criança pequena, um bloco é um bloco. Se ela tiver mais de um ano, poderá empilhá-los ou separá-los. Mas, depois dos 2 anos, ela pode usar os blocos para muito mais. Aos seus olhos, eles podem se tornar uma casa, um carro ou qualquer coisa que ela queira.

Brinquedos se tornam símbolos para outros objetos

Sua filha pode tentar alimentar sua boneca, como se fosse outro bebê. Se você olhar cuidadosamente, poderá ver que ela, às vezes, segura sua boneca ou urso de pelúcia da mesma forma que você a segura.

Este tipo de representação simbólica mostra como o cérebro dela está se sofisticando. Isso também a prepara para passar por eventos que podem ser assustadores. Por exemplo, um hábil pediatra, que precisa ver se os ouvidos da sua filha têm infecções, pode começar por ver os ouvidos da boneca que ela trouxe para o exame. Isso permite à criança antecipar o que acontecerá com ela e ajuda a eliminar suas ansiedades.

Brincadeira paralela

Crianças pequenas precisam de amiguinhos para brincar, ainda que brinquem com eles de forma diferente de crianças mais velhas

Coloque dois bebês de 18 meses com brinquedos similares ao lado um do outro no mesmo quarto, e você perceberá que eles não prestam muita atenção entre si.

Mas observe que, se um pegar um caminhão, o outro provavelmente fará o mesmo. Se a primeira criança olhar ao caminhão e disser "Não" (uma palavra favorita nesta idade), a segunda provavelmente a imitará e gritará "Não!" também. Se as crianças tiverem idade suficiente para habilidades verbais avançadas, você pode ouvi-las tendo o que parecer ser uma conversa que não faz sentido. "Filhote anda carro". "Caminhão grande!" "Filhote fome?" "Meu caminhão. Vroom, vroom!"

Isso é um exemplo de brincadeira paralela.Ao contrário de crianças mais velhas, que interagem e se comunicam diretamente, crianças pequenas brincam em paralelo. Embora pareçam estar brincando independentemente, as crianças nesta idade estão acompanhando o comportamento da outra.A brincadeira paralela é, geralmente, o primeiro passo para formar sólidos relacionamentos sociais fora da família. Companheiros de brincadeiras paralelas são os primeiros amigos de seus filhos.

Brincadeira imaginária

Em crianças pequenas, a linha entre fantasia e realidade é deliciosamente obscura. Um bebê mais velho ou uma criança em idade pré-escolar pode lutar contra dragões ou voar até a lua, sem sair de seu quarto. Se quiser construir um forte com uma criança desta idade, tudo o que vocês precisam é de duas cadeiras e uma coberta para cobri-los.A brincadeira de fingir tem muitos propósitos e expande os limites de brincar. Ela permite ao seu filho explorar novas ideias e viver a vida sob uma perspectiva diferente.

A partir dos 3 anos,brincadeiras de fingir geralmente passam a incluir a criação de companheiros imaginários. Estes amigos imaginários geralmente fazem coisas que a criança não pode ou não ousa.Um amigo imaginário pode ser altamente exigente ou falar rudemente com adultos e crianças mais velhas. Ele pode ter poderes mágicos, força ou sabedoria tremendas. Esta é uma maneira da criança vivenciar a vida por uma perspectiva diferente e brincar com a ideia de poder. Também é uma forma de culpar outra pessoa quando a criança derrubar suco sobre o tapete persa.

Embora o surgimento de um companheiro imaginário preocupe os pais, às vezes, isso não é motivo para preocupação. Na verdade, isso deve ser comemorado.Pesquisas descobriram que crianças em idade pré-escolar que tiveram companheiros imaginários também tendiam a ter mais imaginação e maior vocabulário do que crianças que não tinham. Além disso, eram em geral mais felizes e se davam melhor com colegas de escola. E, mais interessante, muitas destas crianças não contaram aos seus pais que tinham amigos imaginários.

Brincadeira colaborativa

Crianças em idade pré-escolar progridem de brincadeira solitária para paralela, e então para a brincadeira colaborativa. É neste estágio que seu filho aprende a dominar novas e importantes habilidades sociais, como compartilhar, revezar, obedecer regras e negociar. Todos estes comportamentos são muito difíceis para uma criança pequena aprender. Afinal, nesta idade, seu filho acredita que é o centro do universo!

Compartilhando

  • Quando uma criança em idade pré-escolar quer algo, a ideia de dar aquilo para outra pessoa é quase insuportável.
  • Aprender a compartilhar se torna ainda mais complexo pelos modos confusos em que usamos a palavra compartilhar. (Se pedirmos a uma criança para compartilhar seus brinquedos, ela os terá de volta; mas, se pedirmos a ela para compartilhar seus biscoitos, ela nunca os terá de volta!)
  • Crianças em idade pré-escolar têm mais facilidade em compartilhar se já passaram muito tempo em jogos em que davam algo para um pai e recebiam de volta.

Revezamento

  • Os desejos de uma criança em idade pré-escolar são urgentes e imediatos. Quando ela quer algo, ela quer AGORA!
  • Revezar exige que ela adie a satisfação e imagine como é ser as outras crianças que estão brincando.
  • A empatia que ela já aprendeu em casa e durante a brincadeira paralela ajudará.

Obedecendo regras

  • Todas as crianças pequenas querem vencer os jogos que disputam. A maioria fará o que puder para ganhar, mesmo se tiverem de enganar um pouco.
  • Embora os adultos possam perdoá-la, seus amiguinhos não irão, resultando em lições significativas (e duras) sobre a importância de seguir as regras.

Negociando

  • Quem vai primeiro? Como você decide qual será a brincadeira? Quem será o delegado e quem será o vice?
  • Brincadeiras colaborativas exigem que seu filho dê e receba, e defina o que ele quer - algo difícil de aceitar quando você é o centro do universo.

Quando seu filho puder negociar, compartilhar, revezar e seguir as regras, ele está em seu caminho para frequentar o parquinho da escola, o baile do colegial, o dormitório da faculdade e a diretoria da empresa.

Por isso, observe seu filho quando ele brincar. Você terá grandes percepções não apenas sobre seu desenvolvimento social, mas sobre suas capacidades intelectuais também. Além disso, é bem divertido.

Também podem te interessar:

Fraldas

Pampers Premium Care

A fralda mais sequinha e mais macia do Brasil