Crianças brigando: como lidar com o comportamento agressivo

Crianças brigando: como lidar com o comportamento agressivo

Empurrar, agarrar e até mesmo bater um pouco é normal quando as crianças se reúnem. Na maioria das vezes não é nada para se preocupar. Há poucas feridas; as brigas são logo esquecidas.

Lidar é igual a agressão

Algumas crianças pequenas e em idade pré-escolar, no entanto, entram em brigas repetidamente e de maneira crescente. Para elas, a agressão se torna sua principal abordagem para lidar com quase toda situação. Elas não são valentonas; na verdade, às vezes elas entram em brigas impossíveis com crianças que são muito maiores e mais velhas do que elas. Como crianças pequenas e em idade pré-escolar, seus sistemas nervosos em desenvolvimento parecem não deixá-las controlar seus impulso tanto quanto seus companheiros de idade fazem. Com os outros, é mais uma questão de sua necessidade de aprender e praticar habilidades sociais.

Quando a agressão funciona

Em outras áreas de suas vidas, a agressividade é muitas vezes recompensada. Uma criança que fura a fila para descer no escorregador no parquinho provavelmente escorregará mais vezes. Aquele que age assim na pré-escola provavelmente terá atenção extra por parte do professor. Do ponto de vista de uma criança, a diferença entre assertividade e agressão pode não ser clara.

Distinguindo os sinais

A melhor maneira de lidar com uma criança excessivamente agressiva é prevenir o comportamento em primeiro lugar. Muitas dessas crianças mostram um padrão claro para seu comportamento. Podem ser agressivos só em casa ou apenas em público. Uma criança pode ser muito mais propensa a ser agressiva à tarde, quando ela está cansada, ou quando ela está se sentindo frustrada. Essa parte do padrão a ajudar a estar mais bem preparada para intervir.

Além disso, crianças mais agressivas nesta faixa etária passam por uma sequência consistente de comportamentos antes de atacarem com um soco ou um chute. Algumas podem apertar os dentes e olhar fixamente. Outras podem balançar para frente e para trás.

Ajudando seu filho

Depois de ter determinado os gatilhos mais comuns ou o tempo, e poder detectar os comportamentos que aumentam a agressividade, a coisa mais simples a fazer é remover a criança do ambiente. Uma estrutura melhor também parece ajudar essas crianças. Com a estrutura vem a previsibilidade, o que as ajuda a se sentirem mais calmas e no controle. Apesar de parecer tentador no início, bater em uma criança agressiva por seu comportamento não funciona. Na verdade, provavelmente piorará a situação, uma vez que você está repetindo o próprio comportamento que você quer que ela pare.

Meninas contra meninos

Apesar de meninos agressivos receberem mais atenção, meninas entram em brigas também. Sua agressividade pode ser mais verbal, mesmo nessa idade. Também pode ser física, mas menos óbvia do que socos e chutes de um menino. Assim como os meninos, meninas agressivas precisam de ajuda para aprender melhores habilidades sociais e resolução de problemas.

Poderia ser a depressão?

Finalmente, lembre-se que a agressão é, por vezes, um sinal de depressão em crianças pequenas. Se o seu filho parece estranhamente agressivo e não responde a seus esforços para mudar as coisas, fale com o seu profissional de saúde sobre o que está acontecendo. Quanto mais cedo você agir, mais fácil será para você e seu filho.

Também podem te interessar:

Fraldas

Pampers Premium Care

A fralda mais sequinha e mais macia do Brasil