Alergia alimentar infantil

Sintomas, causas e tratamentos da alergia alimentar no bebê

Alimentar uma criança é difícil em qualquer circunstância. Acrescente a isso as alergias alimentares ou problemas para digerir certos alimentos, e a coisa torna-se ainda mais difícil. Há uma diferença entre uma alergia real (um grave problema médico) e a intolerância (que é mais leve, mas precisa ser tratada). Continue lendo para entender a diferença entre as duas e suas formas de tratamentos e causas.

O que é alergia alimentar em criança?

As alergias alimentares nos bebês constituem uma reação exagerada do sistema imunológico contra algumas proteínas dos alimentos. No entanto, a maior parte das reações a alimentos não são alérgicas, mas sim intolerância alimentar, não possuindo relação com o sistema imune, mas sendo consequência de erros na digestão ou no metabolismo dos alimentos. Esta situação não está relacionada com o sistema imunitário - resulta de erros na digestão ou metabolismo dos alimentos.

 O que causa a reação alergia? 

As reações alérgicas são acionadas quando o corpo começa a produzir anticorpos para proteínas nos alimentos. Uma reação alérgica grave, com dificuldade de respirar e até mesmo entrar em colapso e choque, pode ser uma emergência com risco de vida. Felizmente, a maioria das reações alérgicas é mais leve, com sintomas que podem incluir: urticária e outras erupções cutâneas, manchas vermelhas, diarreia, vômitos, coriza e chiado no peito.

Alimentos que podem causar alergias 

  • O leite é a causa mais comum de reações alérgicas em crianças pequenas. Cerca de duas ou três em cada 100 crianças são afetadas pela alergia ao leite de vaca; quase 95 por cento superam isso até os 4 anos de idade.

  • Alergias a nozes, mariscos e clara do ovo estão entre as segundas mais comuns. As reações a esses alimentos são menos propensas a desaparecer à medida que a criança cresce, e pode haver problemas ao longo da vida.

  • O amendoim é outra causa frequente de reações alérgicas. Eles não são exatamente oleaginosas – são leguminosas, como ervilhas, então, muitas vezes as crianças que são alérgicas a amendoim não são alérgicas a amêndoas, nozes ou outros frutos secos verdadeiros. Certifique-se de verificar com o seu médico, caso você não tenha certeza sobre uma potencial alergia a amendoim ou nozes. Lembre-se que crianças com menos de quatro anos não devem receber nozes inteiras porque não podem movê-las adequadamente com os dentes. Como resultado, elas podem facilmente inalar pedaços para os pulmões e engasgar.

Com que idade uma alergia pode começar ?

As alergias podem manifestar-se pela primeira vez em qualquer idade, embora sejam mais frequentes em bebês, mesmo naqueles que tiveram a introdução alimentar após os 6 meses. Além disso, é possível que uma pessoa que antes tolerava um alimento possa desenvolver alergia a esse mesmo alimento ao longo do tempo.

Sintomas de alergia alimentar em bebê

Os sintomas de alergia alimentar podem surgir poucos minutos até algumas horas do contato com a proteína alergênica, podendo ser notados sinais e sintomas que envolvem a pele, sistema digestivo e, em alguns casos, sistema respiratório, sendo os principais:

  • Manchas avermelhadas, inchadas e espalhadas pelo corpo;

  • Coceira generalizada;

  • Vômitos e diarreia;

  • Diarreia;

  • Pode haver sangue ou muco nas fezes, em alguns casos;

  • Inchaço da língua, lábios e rosto;

  • Tosse e chiado ao respirar;

  • Dificuldade para respirar;

  • Olhos inchados.

O que fazer para evitar uma alergia alimentar

De acordo com a Dr.ª Sani Santos Ribeiro Pediatra e Pneumologista infantil, a melhor forma de evitar a alergia alimentar é seguindo as orientações do pediatra acerca da alimentação do bebê, que deve ser exclusivamente leite materno ou fórmula infantil adequada até os 6 meses, podendo ser iniciada a introdução alimentar a partir dessa idade.

Além disso, é importante que o alimento responsável pela alergia seja identificado, pois assim é possível evitar o consumo desse alimento tanto pela mãe quanto pelo bebê, caso já tenha iniciado a introdução alimentar, e, assim, evitar os sintomas de alergia.

Intolerância alimentar: sintomas e causas

A intolerância a certos alimentos é um problema menos grave, mas ainda desconfortável.

 Intolerância à lactose

A intolerância à lactose é a dificuldade de digerir o açúcar natural do leite. É' a intolerância mais comum. Gases, flatulência e diarréia aparecem dentro de 30 minutos a duas horas depois de beber leite. A intolerância à lactose pode começar em qualquer idade, mas é mais comum em crianças com mais de 4 ou 5 anos. Muitas vezes, os produtos lácteos, como iogurte ou queijo, não causam problemas, porque a lactose foi quebrada no processamento. Algumas crianças podem beber um pouco de leite, mas desenvolvem sintomas se beberem muito.

Intolerância ao glúten

A intolerância ao glúten é a incapacidade para digerir uma proteína encontrada no trigo, e pode ser grave. Considerada um problema imunológico hereditário no intestino, pode interferir na absorção de muitos nutrientes e levar a problemas de crescimento e ganho de peso, diarréia ou constipação, e irritabilidade. A intolerância ao glúten pode aparecer logo depois de você introduzir produtos de trigo, como pães de cereais, na dieta de um bebê.

O que você pode fazer sobre alergias alimentares infantil 

Se você suspeitar que seu filho tem alergia ou intolerância, consulte um médico. Não é uma boa ideia fazer o seu próprio diagnóstico. Alergias alimentares podem ser complicadas. Se o seu filho acabar tendo alergias significativas, você precisa estar plenamente informada sobre o conteúdo dos alimentos processados.

Tenha em mente…

  • Sorvete de frutas e margarina contém proteína do leite, a chamada caseína, e seu filho deve evitar alimentos com caseinato de**cálcio ou caseína** no rótulo

  • O glúten pode estar escondido no extrato de baunilha, proteína vegetal hidrolisada (frequentemente encontrados em molho de soja) e no ketchup

  • As crianças que são intolerantes à lactose podem beber leite sem lactose e produtos lácteos, ou podem tomar comprimidos mastigáveis de lactase para substituir a enzima ausente

  • Verifique se o seu filho recebe cálcio suficiente de outras formas, se ele não puder tolerar muitos produtos lácteos. O suco de laranja enriquecido com cálcio por exemplo, pode substituir um pouco de leite.

Quando procurar um médico 

Você pode precisar consultar um nutricionista pediátrico para se certificar de que seu filho mantenha uma dieta totalmente balanceada, enquanto as restrições forem necessárias.

Se o seu filho tiver o potencial para uma reação alérgica grave, o seu médico poderá dar-lhe uma receita de epinefrina especial, contendo adrenalina para uso imediato em caso de tal reação. Mantenha algumas dessas seringas em vários lugares: no carro, em casa, na creche. Certifique-se de todos saberem como usá-las e substituí-las quando elas estiverem com a data vencida. Cuidadores, professores de pré-escola, amigos e outros membros da família que alimentam a criança devem estar cientes não só das alergias do seu filho, mas também do que fazer caso ocorra uma reação.

Para mais informações sobre o assunto, leia ou assista os nossos conteúdos relacionados:

Se quiser saber mais sobre este assunto, o convidamos a consultar mais informações confiáveis ​​em:

Fontes

Flexible Banner V2

Sobre o conteúdo publicado aqui

As informações deste artigo são baseadas nas recomendações de especialistas encontradas em fontes rigorosas: médicas, institucionais e/ou governamentais. Sob nenhuma circunstância o conteúdo desta página deve substituir as sugestões médicas e/ou especializadas. É responsabilidade do leitor sempre recorrer a profissionais para orientação precisa. Para mais informações sobre nossas diretrizes editoriais, consulte a seção Ética Editorial de Pampers®.