Desafios da relação entre o do bem-estar materno e o sono bebê

Depressão Materna

Ter uma boa noite de sono é essencial, principalmente para os pequenos, e muito mais para as mamães. Mas sabemos que os primeiros meses de vida do bebê são muito desafiadores para ambos. Uma onda de hormônio pós-parto começa a fazer efeito e junto disso chega a tarefa de começar a criar uma rotina de sono sua e do seu bebê.

Bebês recém-nascidos não tem dia e nem hora, tudo é novo para eles, e dormir bem faz parte do seu processo de crescimento e fortalecimento.  Os ciclos de sono dos nenéns são mais curtos e a duração do sono profundo é consideravelmente menor. Além disso, o ritmo biológico dos pequenos se repete a cada 3 ou 4 horas, ou seja, não são consecutivas as horas que ficam desperto.Por exemplo, se os adultos destinam 8 horas para descansar, os bebês destinam essa mesma quantidade de tempo para estar acordados. As outras 15 horas que ficam são ocupadas em dormir, acordando a cada três horas nas quais se dedicam, especialmente, a alimentar-se.

Por isso, não é possível e, até é contraditório, achar que os bebês recém-nascidos se adequem rapidamente aos nossos costumes e necessidades. Muito mais simples é que desde o começo a mãe e o pai assumam que a maneira na qual entendiam o descanso, até o momento, durante estes primeiros meses vai ser modificada completamente

Mas afinal, onde fica o sono e bem-estar da mãe?

Bem-estar Maternal

Segundo uma pesquisa australiana realizada pela Archdischild, em 9 centros de Saúde Materna e Infantil (SMI) - em Melbourne, Austrália, com 328 mães,a depressão materna está ligada ao sono infantil ruim. Problemas com o despertar noturno frequente dos bebês que têm dificuldades para dormir são relatados por mais de um terço dos pais nos primeiros 6 meses de vida da criança e estão associados aos problemas de saúde materna, que em sua maioria são mentais e se não tratados, podem se tornar físicos. Como emagrecimento ou ganho de peso muito rápido.

A tristeza pós-parto pode atingir até 80% das mulheres; no entanto, a depressão pós-parto é mais grave, pode incapacitar a mulher e precisa de tratamento.

O que é depressão pós parto e seus efeitos?

É muito importante ter em mente que a Depressão Materna não é uma falha de caráter ou uma fraqueza. A criança nasceu perfeita, com boa saúde, o pai está feliz, os avós também. Nada aconteceu de errado, elas voltam com o bebezinho para casa, onde tudo foi preparado para recebê-lo, mas são invadidas por uma espécie de melancolia que não sabem explicar. 

A depressão materna afeta negativamente a saúde mental, qualidade de vida, relações mãe-filho e desenvolvimento da criança. Apesar de uma prevalência de 15% no primeiro

ano pós-parto, a depressão muitas vezes permanece sem diagnóstico e, mesmo detectadas, muitas mães rejeitam o diagnóstico, o tratamento ou ambos.

Sintomas da Depressão Pós Parto devido a privação de sono

Sintomas como irritabilidade, choro frequente, sentimentos de desamparo e desesperança, diminuição da energia e motivação, desinteresse sexual, transtornos alimentares e do sono, ansiedade e sentimentos de incapacidade de lidar com situações novas são emocionalmente potencializadas. Além disso, a privação de sono, isolamento, alimentação inadequada e falta de apoio do parceiro também podem potencializar esses fatores

Vamos ao metódos

Em um estudo de eficácia anterior, foi mostrado que o tratamento de problemas de sono infantil (técnicas comportamentais simples entregues em centros locais de puericultura ao longo de duas a três sessões) reduziu significativamente os relatos maternos de sintomas de depressão bem como problemas de sono infantil. No entanto, a eficácia dos estudos  e a generalização pode ser limitada pelo meio predominantemente dependendo do status da classe das famílias participantes e o fato de que a intervenção do estudo foi entregue por um único pediatra (HH). Em outro estudo randomizado (Estudo clínico controlado) feito pela mesma instituição,  uma única consulta feita por enfermeiros mostrando maneiras de ajudar bebês pequenos a dormir resultou em bebês dormindo mais tempo, mas não houve nenhuma mudança na depressão maternal.

Fatores de risco para depressão pós-parto incluem:

  • História de depressão pós-parto anterior

  • Falta de apoio da família, parceiro e amigos

  • Estresse, como um recém-nascido doente, problemas financeiros ou problemas familiares

  • Limitações físicas anteriores ou após o parto

  • Depressão durante a gravidez

  • Depressão anterior

  • Transtorno bipolar

  • História familiar de depressão ou transtorno bipolar

  • História de desordem disfórica pré-menstrual (PMDD), que é a forma grave de tensão pré-menstrual (TPM)

  • Violência doméstica, que podem aumentar durante a gravidez e quando um casal está se ajustando a um novo bebê. Se o seu parceiro é violento ou emocionalmente abusivo, você e seu bebê estão fisicamente em risco, e você tem um maior risco de depressão pós-parto. Procure ajuda se possível.

Como deve ser o tratamento da depressão materna ?

O tratamento para a depressão pós-parto, tanto da mulher quanto do homem, deve ser feito preferencialmente por meio de medidas naturais, como terapia e alimentação saudável e equilibrada, principalmente no caso das mulheres, isso porque algumas substâncias presentes nos medicamentos antidepressivos podem passar para o bebê através do leite.

Para mais informações sobre o assunto, leia ou assista os nossos conteúdos relacionados: 

  1. Depressão pós parto

  2. Cuidados com o Pós-Parto

  3. Sono do recém-nascido

  4. Por que Meu Bebê Acorda à Noite?

Se quiser saber mais sobre este assunto, o convidamos a consultar mais informações confiáveis ​​em:

Depressão Pós-Parto | Secretaria de Estado de Saúde - GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS

Fontes:

Esse artigo foi elaborado usando dados do estudo na língua inglesa: Improving infant sleep and maternal mental health: a cluster randomized trial | Melhorando o sono infantil e a saúde mental materna: um estudo randomizado em cluster* tradução livre. Arch Dis Child 2007;92:952–958. doi: 10.1136/adc.2006.099812.

Tua Saúde. ( Agosto 2020).Depressão pós-parto: o que é, sintomas e tratamento.Dra. Sheila Sedicias. Ginecologista. Acessado 25  de fevereiro  de 2022. Disponível em:  https://www.tuasaude.com/sintomas-de-depressao-pos-parto/ 

Minha Vida. ( 24/7/2021).Depressão pós-parto: causas, sintomas e como tratar. Acessado 25  de fevereiro  de 2022. Especialista consultado Fábio Roesler. Disponível em: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/depressao-pos-parto 

Flexible Banner V2