O Que É Cólica? Causas, Sintomas & Soluções

Descubra o que causa cólica no bebê, sintomas e formas de alívio

Quase todos os bebês, a partir de duas semanas de vida, passam por um período de irritação em algum momento do dia sem nenhuma razão especial, aparentemente. Então como saber se o bebê está com cólica?

 Às vezes esse período normal de irritação acaba se transformando em períodos prolongados de choro contínuo que parece não se acalmar por nada. Esses episódios que testam o coração da nova mamãe podem indicar que o bebê está com cólicas. Leia mais para descobrir o que é a cólica e o que você pode fazer para tentar confortar seu bebê.

O que é cólica?

As cólicas podem ser sinal de várias situações, como ingestão de ar na hora de mamar ou tomar o leite na mamadeira, consumo de alimentos que produzem muitos gases ou intolerância a algum alimento ou componente, causando normalmente dor abdominal e choro constante.

Meninos e meninas são afetados igualmente e bebês que mamam no peito ou tomam fórmula também. O tempo que as cólicas normalmente variam de bebê para bebê. Ela costuma passar completamente até no máximo 6 meses de vida.

A cólica típica se manifesta como um ataque de choro forte, agudo, estridente e crescente. O bebê se estica, fica vermelho, vira a cabeça para os lados e se encolhe. 

O que causa cólicas?

Ao contrário do que muitos pensam, esse incômodo nos bebês não está relacionada ao consumo de leite materno ou outra fórmula. Outra boa notícia é que essa dor costuma durar apenas até os 6 meses de vida. Então, logo o seu bebê estará livre desse problema.

Acredita-se que a principal causa é a formação do sistema digestivo do bebê que, por ainda estar em desenvolvimento, causa dor e desconforto. Além disso, é importante cuidar da alimentação do seu pequeno. Pois, caso ele se alimente e não arrote, há risco de gerar refluxo e gases que também causam desconforto.

Ainda por cima, nas primeiras semanas, os bebês ainda estão na fase de adaptação com o novo ambiente, que gera um estímulo muito alto.

Os especialistas não sabem ao certo o que causa as cólicas, mas algumas explicações possíveis são:

  • O sistema digestivo do bebê ainda está se desenvolvendo, causando desconforto, que o bebê comunica com o choro.

  • O refluxo pode estar fazendo o bebê se sentir desconfortável.

  • O bebê está com gases e isso causa o desconforto.

  • Bebês com poucas semanas podem se sentir super estimulados pelo ambiente quando o dia chega ao fim e o choro acontece quando essa nova informação – o desconforto – se torna a gota d'água.

  • Algumas pesquisas sugerem que as alergias alimentares (a alérgenos a que os bebês são expostos no leite materno ou nas fórmulas) ou a exposição à fumaça do cigarro podem causar cólicas.

Sintomas da cólica em bebês

É natural sentir-se ansiosa a respeito do desenvolvimento de seu recém-nascido e preocupar-se a respeito da diferença entre o choro da cólica e o choro normal. Se você suspeita que seu bebê está com cólica, preste atenção se ele:

  • Encolhe e estica as pernas

  • Arqueia as costas

  • Mexe os braços e pernas

  • Fica o rosto corado ou avermelhado enquanto chora

  • Fecha as mãozinhas

  • Parece estar com dor

  • Está com a barriga inchada e solta gases. Esse sintoma de cólica pode ser por causa do ar que o bebê que chora acaba engolindo, ou por precisar arrotar mais depois de mamar.

Ideias que podem ajudar a evitar o choro da cólica

Muitos pais sentem-se desamparados e confusos ao tentar ajudar seu bebê com cólica. As ideias abaixo poderão limitar ou evitar o choro antes de começar:

  • Estudos demonstraram que pegar o bebê no colo e proporcionar diversas oportunidades de contato pele a pele nas primeiras semanas de vida pode fazer com que os episódios de choro sejam menores conforme ele cresce.

  • Alimente o bebê sempre que ele estiver com fome, não necessariamente seguindo horários fixos.

  • Faça o bebê arrotar depois de cada mamada. Para tanto, segure-o sobre o ombro e dê tapinhas delicadas em suas costas.

  • Durante a mamada no peito ou na mamadeira, sente-se com a coluna reta para evitar que ele engula o ar.

  • Se o bebê mama na mamadeira e apresenta cólicas, mude de mamadeira ou de bico – isso talvez ajude a reduzir a quantidade de ar que ele engole

  • Balance o bebê suavemente para acalmá-lo.

  • Ofereça uma chupeta ao bebê — o movimento de sucção talvez acalme-o.

  • Coloque-o em um moisés ou cadeirinha de balanço, pois o movimento pode confortá-lo.

  • Ande com o bebê em um canguru ou sling ou segure-o perto de seu peito. Tanto o movimento quanto o contato podem acalmá-lo.

  • Coloque o bebê em seu colo, de barriga para baixo, e esfregue suas costinhas.

  • Coloque uma música baixinha, ou ligue o ventilador ou aspirador de pó para gerar um barulhinho de fundo.

  • Leve o bebê para passear de carro. O movimento e o ruído podem surtir um efeito calmante.

  • Dê um banho morno no bebê.

  • Proporcione momentos relaxantes para seu bebê, ele pode estar se sentindo super estimulado pela luz ou pelo barulho.

Lembre-se, às vezes o bebê vai chorar independentemente do que você fizer. Experimente abordagens diferentes; se o método não funcionar em uma semana, passe para o próximo item na lista. Talvez você perceba que, depois de tentar quase tudo, a fase de cólicas de seu bebê finalmente passou.

Lidando com as cólicas do ponto de vista dos pais

Quando o bebê tiver cólicas, é importante prestar atenção ao seu estado emocional. Cuidar de um bebê com cólica pode ser difícil e faz com que muitos pais se sintam ansiosos e despreparados, sem falar no estresse. Mas, bastante cuidado: não importa o seu nível de frustração, nunca chacoalhe um bebê. 

Chacoalhar um bebê pode causar hemorragia cerebral, levando a danos permanentes e até à morte. Se você estiver se sentindo fora de controle e incapaz de lidar com o choro, peça para um adulto em quem você confia para cuidar de seu bebê enquanto você se recupera. Se você estiver sozinha com seu pequeno, coloque-o no berço ou outro local seguro e deixe o cômodo para fazer uma pausa.

Outras dicas para lidar com a ansiedade que as cólicas trazem:

  • Peça e aceite ajuda da família e dos amigos que puderem ficar com o bebê por curtos períodos, proporcionando momentos de descanso para você.

  • Fale com seu médico sobre formas de lidar com a frustração causada pelo choro constante.

  • Busque grupos de mães ou fóruns online para encontrar mais dicas e conselhos de outras mães passando pela mesma coisa. Tente descansar e dormir o suficiente.

  • Não se sinta culpada ao tentar acalmar o bebê. Segurar e confortar o bebê não é mimar, mas apenas uma tentativa de fazer com que ele se sinta melhor.

  • Mantenha-se otimista. Este período vai passar e ter um bebê com cólica não significa que você terá uma criança difícil no futuro.

Como aliviar cólicas em Bebê

Em primeiro lugar, tenha em mente que a cólica é um problema comum e acontece em bebês saudáveis. Portanto, não se culpe e lembre-se de que os episódios devem cessar naturalmente em alguns meses. Fique tranquilo e aconchegue seu bebê no colo.

Para aliviar cólicas, os pais devem consultar o pediatra, que indicará o tratamento adequado. Certas atitudes podem ajudar durante os episódios:

  • Manter o bebê em um ambiente tranquilo e relaxado.

  • Colocar o bebê de bruços e posicionar sua mão na barriga da criança, com uma leve compressão para cima

  • Movimentar as pernas do bebê, como se estivesse pedalando no ar, para eliminar o excesso de gases e aliviar a dor.

  • Fazer uma massagem na barriguinha do bebê, no sentido horário, também pode ajudar a eliminar o excesso de gases.

  • Compressas mornas na barriga podem aliviar a dor e relaxar o bebê.

Quando procurar um médico

Após experimentar algumas das técnicas para acalmar o bebê, você provavelmente descobrirá qual é a mais eficaz para vocês dois. Porém, se o choro persistir e nada parecer ajudar, talvez seja a hora de procurar um médico. Seu médico poderá confirmar a cólica ou o que quer que esteja causando o choro excessivo no bebê.

Busque seu médico se:

  • Estiver chorando de maneira muito alta e estridente.

  • Estiver com lábios e/ou pele com uma tonalidade azulada durante o choro.

  • O bebê está vomitando repetidamente ou perdendo peso.

  • O bebê apresentou diarreia ou sangue nas fezes.

  • O bebê está mamando ou urinando menos que o normal.

Mamãe e papai, apesar da frustração diante do choro do bebê, lembrem-se de que estão fazendo um ótimo trabalho. Logo o choro passará, então basta lembrar que vocês vão conseguir.

Para mais informações sobre o assunto, leia ou assista também:

Fontes

Flexible Banner V2

Sobre o conteúdo publicado aqui

As informações deste artigo são baseadas nas recomendações de especialistas encontradas em fontes rigorosas: médicas, institucionais e/ou governamentais. Sob nenhuma circunstância o conteúdo desta página deve substituir as sugestões médicas e/ou especializadas. É responsabilidade do leitor sempre recorrer a profissionais para orientação precisa. Para mais informações sobre nossas diretrizes editoriais, consulte a seção Ética Editorial de Pampers®.