Gestante massageando seus tornozelos inchados e com dor

Dores na Gravidez – Sintomas e formas de tratamento

Dores na gravidez são inevitáveis! E bem no  início da gestação, as dores podem ser um pouco assustadoras. As cólicas, dores nas costas e até mesmo uma dor no pé da barriga são comuns.. Até a10ª semana da gravidez, essas dores podem ser hormonais e de expansão do útero.

E mesmo quando a gravidez está indo bem, toda gestante tem sua parcela de dores no corpo e incômodos. Então não se preocupe! Continue lendo para saber mais…

Dores comuns na gravidez      

Dor nas Costas

A causa mais comum de dor nas costas é o esforço dos músculos de suas costas para contrabalancear o peso de sua barriga. Na medida em que o peso passa para a frente de seu corpo, ele se inclina para trás para manter o equilíbrio, colocando maior pressão sobre os músculos das costas, o que pode resultar em dor, rigidez muscular e desconforto. Seus músculos abdominais também esticam e se enfraquecem durante a gravidez, então, sua coluna parece ficar sem apoio. Os hormônios também são responsáveis pelas dores nas costas durante a gravidez, pois relaxam o tecido conjuntivo que envolve os ossos e os apoia, principalmente os ligamentos das articulações de sua pelve, para prepará-la para o parto.

Como diminuir a Dor nas costas na gravidez

  • Usar sapatos com salto baixo e com bom apoio para o arco dos pés

  • Investir em um colchão firme que dê apoio para suas costas

  • Agachar e levantar utilizando os joelhos e não as costas

  • Dormir de lado e colocar um travesseiro entre as pernas ou embaixo da barriga, para dar mais apoio.

Cólicas durante a gravidez 

Sentir cólicas durante a gravidez é normal e elas podem aparecer só no final, quando seu corpo começa a ter contrações de treinamento, ou desde o primeiro mês, durante o qual talvez você sinta cólicas moderadas.

Com quanto tempo é normal sentir cólicas na gravidez?

Duas semanas após a concepção, em média, é normal sentir cólicas moderadas acompanhadas de um sangramento leve após a nidação do embrião na parede do útero. Esse processo é conhecido como sangramento de nidação. Talvez você sinta uma dor aguda, ou algo parecido com um espasmo muscular na pélvis devido ao estiramento dos ligamentos ao redor do útero. 

Tipos de cólicas durante a gravidez

No final do segundo trimestree início do terceiro, é possível que você sinta contrações de treinamento, conhecidas como contrações de Braxton Hicks, que podem ficar mais intensas conforme a gravidez chega ao fim. As contrações de Braxton Hicks geralmente passam com uma caminhada ou com o descanso, mas se elas ficarem cada vez mais próximas e mais fortes, fique atenta a outros sinais do trabalho de parto e consulte seu médico caso esteja preocupada. As contrações de Braxton Hicks podem doer um pouco, mas são perfeitamente normais e você pode considerá-las um treino para o grande dia.

Dor e sensibilidade nos dentes

Ao entrar no segundo trimestre, pode ser que suas gengivas fiquem mais sensíveis quando você passar o fio dental ou escovar os dentes, chegando até a sangrar um pouco. A gravidez pode afetar seus dentes com problemas como a gengivite gravídica, que é uma versão moderada da gengivite. Quando escovar os dentes, pode ser que as gengivas fiquem inchadas, vermelhas e sangrem devido à inflamação. Fique atenta também à periodontite - uma infecção das gengivas que danifica o tecido mole e o osso que dá apoio ao dente –, à erosão do esmalte e às cáries devido ao vômito no início da gravidez.

Como diminuir a sensibilidade nos dentes

Mesmo se suas gengivas estiverem sensíveis, é importante continuar escovando os dentes três vezes ao dia e passando o fio dental diariamente. Se você não visitou um dentista nos últimos seis meses, ou se notar problemas, como sensibilidade e dor nas gengivas, marque uma consulta com seu dentista. 

Dores de cabeça na gravidez

O aumento dos hormônios da gravidez, como o estrogênio e a progesterona, pode afetar a química em seu cérebro e causar dores de cabeça. Mesmo que tomar um analgésico possa ser tentador, peça a recomendação de seu médico. Geralmente, a aspirina não é recomendada durante a gravidez, mas seu médico pode prescrever o acetaminofeno (também conhecido como paracetamol), ou outro medicamento para ajudar a aliviar as dores de cabeça.

Como diminuir a dor de cabeça durante a gravidez

  • Técnicas de relaxamento

  • Evitar os gatilhos das dores de cabeça, como alimentos ou odores que tenham iniciado enxaquecas no passado

  • Dormir mais

  • Fazer exercícios leves ou moderados

  • Controlar o estresse

  • Comer regularmente.

  • Uso de uma compressa fria

Queimação e Indigestão

Sobretudo no primeiro e no terceiro trimestres, os hormônios da gravidez fazem com que a válvula entre o esôfago e o estômago relaxe, permitindo que o ácido estomacal vaze e cause queimação. 

Como evitar Queimação e Indigestão

É bom não se deitar depois das refeições, idealmente por 3 horas, para evitar a queimação. Por isso, tente jantar mais cedo, não muito perto da hora de dormir. Se ainda assim sentir queimação à noite, você pode elevar a cabeceira de sua cama colocando um calço entre o estrado e seu colchão; só os travesseiros não serão tão eficientes.

Você também pode evitar a queimação cortando certos alimentos que podem desencadeá-la, como as frituras, pratos apimentados, frutas cítricas, chocolate e fazendo refeições pequenas e frequentes.

Cãibras nas pernas

As cãibras nas pernas estão entre as dores no corpo mais comuns no segundo e terceiro trimestres da gravidez. As contrações musculares na panturrilha ou nos pés geralmente atacam à noite e sua causa não é clara.

Como evitar Cãibras nas pernas durante a gravidez

É possível evitar as cãibras nas pernas durante a gravidez alongando-se antes de dormir, sendo ativa e se hidratando ao longo do dia. Usar sapatos confortáveis e com bom apoio também ajuda. Se estiver acordando com cãibras, alongue seus músculos flexionando o pé para cima e depois para baixo, dessa forma o incômodo será menor. Você também pode tomar um banho quente, ou massagear os músculos e se sentirá muito melhor. Para saber mais sobre, leia também: Câimbra na gravidez: 6 principais causas e o que fazer

Dor no pé da barriga | Região Pélvica

Conforme seu útero aumenta durante a gravidez, os ligamentos que o apoiam esticarão. Esses ligamentos são chamados de ligamentos redondos e conforme esticam, podem causar uma dor aguda e curta, que lembra um espasmo muscular, em seu baixo ventre. Às vezes, ela deixa uma dor residual em um dos lados do baixo ventre. Essa dor não deve causar preocupação; é apenas uma “dor do crescimento” que você sentirá na medida que seu bebê cresce. Ela significa que seu bebê está ficando maior, só isso. Para saber mais, leia também: Dor pélvica no início da gestação

Como evitar dores no pé da barriga durante a  gravidez

É possível evitar e aliviar essas dores da gravidez se movimentando mais devagar do que o costume e não se levantando muito rápido da cama ou de um assento. Tente evitar movimentos bruscos. Talvez você sinta que tirar um pouco o peso da barriga pode ajudar a aliviar a dor e o desconforto, então tomar um banho de banheira ou entrar em uma piscina por um tempo pode ser uma boa ideia. Outra boa dica é usar um cinto de maternidade ou uma roupa com apoio para a barriga.

Tornozelos e pés inchados

Inchaço nos pés e tornozelos é comum durante os meses finais da gravidez. Isso acontece porque seu corpo retém mais líquidos e seu útero, que não para de crescer, acaba pressionando as veias, permitindo que fluidos da corrente sanguínea se espalhem pelo tecido ao redor, causando inchaço. Além disso, não podemos esquecer dos hormônios da gravidez e o resultado dessa combinação são pés e tornozelos inchados. Esse inchaço desaparecerá após o nascimento.

Como evitar inchaços durante a gravidez

  • deitar-se e elevar as pernas

  • dormir sobre seu lado esquerdo para não pressionar a grande veia que leva o sangue de volta ao coração

  • usar meias de compressão

  • ser fisicamente ativa em sua rotina

  • usar roupas confortáveis

  • colocar seus pés em água fria

  • ficar de pé ou caminhar em uma piscina para ajudar a relaxar os tecidos comprimidos das pernas

Seios inchados e sensíveis

No primeiro trimestre, as mudanças hormonais podem fazer com que seus seios fiquem doloridos, inchados e sensíveis. Felizmente, esse desconforto diminuirá depois de algumas semanas, quando seu corpo está acostumado à onda de hormônios da gravidez.

Varizes e hemorróidas na gravidez

Algumas mulheres ficam com veias varicosas durante a gravidez. Isso acontece porque o volume de sangue aumenta na gravidez, enquanto a circulação de suas pernas até a pélvis diminui, fazendo com que as veias fiquem sob pressão. A progesterona também pode dilatar as veias, que ficam mais abertas e resultam no surgimento de veias varicosas. Para saber mais informações, leia também Hemorroidas na gravidez: porque aparecem e como tratar

Como evitar dores de varizes e hemorróidas

  • mudar de posição enquanto estiver de pé

  • ficar de olho no ganho de peso durante a gravidez – você poderá ler mais a respeito do ganho de peso saudável na gravidez aqui

  • usar meias de compressão que não apertem muito na região do joelho ou acima dele

  • beber muitos líquidos e acrescentar fibras à sua dieta para evitar as hemorroidas.

Quando buscar um médico ao longo da gestação

Muitas dores no corpo durante a gravidez que você vai sentir são perfeitamente normais, mas há alguns sintomas que podem denunciar uma condição mais séria. Por exemplo, se você tiver dor no alto ventre ou nos ombros, que vem acompanhada de dores de cabeça, talvez seja bom visitar seu médico para descartar a pré-eclampsia. Se sentir dor abdominal ou dor pélvica severas, com sangramento vaginal no primeiro trimestre, pode ser um sinal de gravidez ectópica

Contactar um médico imediatamente

  • Dor abdominal antes das 12 semanas de gestação, com ou sem sangramento vaginal;

  • Sangramento vaginal e cólicas fortes;

  • Forte dor de cabeça;

  • Mais de 4 contrações em 1 hora durante 2 horas;

  • Inchaço acentuado das mãos, pernas e rosto;

  • Dor ao urinar, dificuldade ao urinar ou urina com sangue;

  • Febre e calafrios;

  • Corrimento vaginal.

Para mais informações sobre o assunto, leia ou assista os nossos conteúdos relacionados: 

Se quiser saber mais sobre este assunto, o convidamos a consultar mais informações confiáveis ​​em:

Fontes

Flexible Banner V2

Sobre o conteúdo publicado aqui

As informações deste artigo são baseadas nas recomendações de especialistas encontradas em fontes rigorosas: médicas, institucionais e/ou governamentais. Sob nenhuma circunstância o conteúdo desta página deve substituir as sugestões médicas e/ou especializadas. É responsabilidade do leitor sempre recorrer a profissionais para orientação precisa. Para mais informações sobre nossas diretrizes editoriais, consulte a seção Ética Editorial de Pampers®.